Sugestão de pauta: Copa do Mundo é a oportunidade para o Brasil deixar como legado um ambiente mais seguro

April 3, 2014

• Em 2012, a Infraero – Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária – divulgou que os aeroportos das capitais onde acontecerão os jogos da Copa do Mundo FIFA 2014 receberam aproximadamente 18,2 milhões de passageiros internacionais. Os aeroportos que mais registraram movimento foram Galeão, no Rio de Janeiro; Confins/Belo Horizonte, em Minas Gerais; e Cuiabá, em Mato Grosso.

• Já no início deste ano, a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) autorizou a operação de 1.973 voos extras no país durante a Copa do Mundo. As rotas adicionais mais pedidas foram Fortaleza (CE) – Guarulhos (SP), Santos Dumont (RJ) – Viracopos (SP), Galeão (RJ) – Aeroparque (Argentina), Brasília – Guarulhos, e Galeão – Ezeiza (Argentina).

• Além disso, segundo estudo realizado pela International Air Transport Association (IATA), até 2016 o Brasil se tornará o terceiro maior mercado de transporte de passageiros domésticos do mundo, atrás apenas dos Estados Unidos e China.

Os dados indicam que o Brasil está aumentando cada vez mais a demanda de voos e, principalmente, o fluxo de passageiros nos aeroportos brasileiros. Mas, diante deste cenário, como garantir segurança e agilidade na inspeção de pessoas e bagagens nos terminais aeroportuários?

O Brasil tem a oportunidade de implementar durante a Copa do Mundo e Jogos Olímpicos os mais modernos sistemas de detecção. Se executada da forma correta, esta inovação possibilitará ao país dar um salto qualitativo no segmento deixando como legado um ambiente mais seguro para toda a população.

Além disso, quando comparamos aos eventos anteriores de grande porte, o país teve êxito quando sediou a Copa das Confederações, Rio + 20, 5 ° Jogos Mundiais Militares – Rio 2011, Eco-92 e os Jogos Pan-Americanos Rio 2007. Neste último evento, a Smiths Detection participou com apoio operacional no país. Ao todo foram disponibilizados mais de 90 sistemas de inspeção HI-SCAN 6040i (para bagagem de mão) e 12 sistemas de inspeção por raios X HI-SCAN 100100V, utilizados em uma variedade de aplicações, inclusive em lavanderias, alimentos e para análise de outros produtos que entravam na vila dos atletas. A Smiths também esteve presente no controle de acesso em mais de 20 locais diferentes do evento, com a utilização de 1 Silhouette Scan Mobile  300 – unidade móvel de raios X e 1 HCVM 4028 – sistema de inspeção móvel de alta energia, para completas inspeções de área, além de serviço local completo incluindo operadores de Pontos de Verificação, logística e suporte técnico.

O CEO da Smiths Detection Brasil, Danilo Dias, está disponível para comentar sobre essa tendência do crescimento no setor aeroportuário e sobre atuação do país na preparação de grandes eventos. O executivo também pode explicar como o Brasil pode deixar como legado um ambiente mais seguro com a implementação dos sistemas mais avançados de detecção de metais, scanners corporais com tecnologia de ondas milimétricas, sistemas de raios X, detecção de ameaças químicas entre outros. Existem também equipamentos que podem distinguir precisamente líquidos ameaçadores de líquidos benignos em garrafas fechadas de vidro e plástico, independentemente se elas são claras, translúcidas ou congeladas.

GRUPO LATAM AIRLINES ANUNCIA LUCRO OPERACIONAL CONSOLIDADO DE US$ 235 MILHÕES NO QUARTO TRIMESTRE DE 2013

March 18, 2014

Santiago, Chile, 17 de março de 2014 – A LATAM Airlines Group S.A. (NYSE: LFL; IPSA: LAN; BOVESPA: LATM33), companhia aérea líder na América Latina, anuncia hoje seus resultados financeiros consolidados para o quarto trimestre findo em 31 de dezembro de 2013. “LATAM” ou “Companhia” refere-se à entidade consolidada, incluindo companhias aéreas de transporte de passageiros e cargas na América Latina. Todos os valores são apresentados de acordo com as Normas Internacionais de Contabilidade (International Financial Reporting Standards – IFRS) e em dólares norte-americanos. A taxa de câmbio média entre o real e o dólar norte-americano no trimestre foi de R$ 2,27/US$ 1,00.

DESTAQUES

·         No quarto trimestre de 2013, o Grupo LATAM Airlines registrou lucro operacional de US$ 234,9 milhões (R$ 532,3 milhões), um aumento de 166,1% em relação aos US$ 88,3 milhões (R$ 200,4 milhões) registrados no quarto trimestre de 2012. A margem operacional atingiu 6,9%, um aumento de 4,4 pontos percentuais em relação aos 2,5% registrados em 2012. A forte expansão de margens é explicada pela melhora significativa dos resultados financeiros da operação doméstica no Brasil e pela racionalização da oferta nas operações internacionais de passageiros, além da implantação bem sucedida do processo de integração e de iniciativas de sinergia e eficiência.

·         No quarto trimestre do ano, e em linha com os cortes de oferta informados em trimestres anteriores, reduzimos significativamente nossa oferta total medida em assentos-quilômetros oferecidos (ASK) em 4,5% em relação ao mesmo período de 2012. Essa racionalização da oferta reflete principalmente a forte diminuição da oferta em nossos voos internacionais, que foi de 6,5% em relação ao mesmo período de 2012, além da contínua racionalização das operações domésticas no Brasil.

·         No consolidado de 2013, a LATAM registrou lucro operacional de US$ 643,9 milhões (R$ 1.390,8 milhões), um aumento de 605% em relação aos US$ 91,4 milhões (R$ 197,4 milhões) registrados no ano de 2012 (pro forma). A margem operacional foi de 4,9%, um aumento de 4,2 pontos percentuais em relação aos 0,7% registrados em 2012, em linha com o guidance fornecido pela Companhia.

·         Após um processo de revisão do seu plano e necessidade de frota após a fusão, no segundo semestre de 2013 a LATAM decidiu implantar um amplo plano de reestruturação da frota, visando reduzir o número de modelos operados, desativando gradualmente os modelos menos eficientes e alocando as aeronaves mais adequadas para cada um do seus mercados. Assim, a partir do quarto trimestre de 2013 e durante aproximadamente os próximos 30 meses, a Companhia irá desativas gradualmente todas as suas aeronaves dos modelos A330, A340, B737, Q400 e Q200s. No último trimestre do ano, esse processo gerou custos não recorrentes de US$ 17,5 milhões (R$ 39,7 milhões), resultado de multas relacionadas à devolução antecipada e despesas com devolução. Para todo o ano, estes custos atingiram US$ 29 milhões (R$ 65,8 milhões). Excluindo tais custos não recorrentes, a margem operacional da LATAM foi de 7,4% no quarto trimestre de 2013, e de 5,1% no ano de 2013.

·         No quarto trimestre de 2013, a LATAM registrou prejuízo líquido de US$ 46,1 milhões (R$ 104,6 milhões), comparado a um prejuízo líquido de US$ 69,8 milhões (R$ 158,4 milhões) no mesmo período de 2012, influenciado principalmente pela perda cambial reconhecida principalmente pela TAM de US$ 142,6 milhões (R$ 323,7 milhões) resultando da depreciação do real no trimestre. A Companhia continua trabalhando para em grande parte mitigar a exposição do balanço patrimonial da TAM à moeda brasileira até junho de 2014.

·         A TAM continua apresentando avanços significativos no processo de turnaround das operações domésticas de passageiros no Brasil, mantendo disciplina sobre a oferta, com redução de 6,0% no ASK durante o quarto trimestre de 2013 em relação ao quarto trimestre de 2012. As melhores práticas de segmentação de mercado e gestão de receita levaram a um avanço no yield e a uma sólida taxa de ocupação de 81,6%. Isso contribuiu para o aumento substancial de 11,3% na receita por ASK (RASK) medida em reais.

·         A estratégia da LATAM de racionalizar a oferta internacional de passageiros no Brasil e em países de língua espanhola segue apresentando resultados positivos, com aumento substancial da receita por ASK. A oferta em voos internacionais diminuiu 6,5%, enquanto o número de passageiros aumentou 0,8%, o que resultou em uma taxa de ocupação de 84,3%, ou 6,1 pontos percentuais acima do quarto trimestre de 2012. Adicionalmente, recebemos aprovação das autoridades brasileiras para melhorar a distribuição dos slots de passageiros no aeroporto de Guarulhos, em São Paulo, o que representa um passo importante na consolidação desse aeroporto como nosso principal hub para voos regionais e de longa distância na América do Sul.

·         Em 10 de janeiro de 2014, o Grupo LATAM Airlines concluiu com sucesso o aumento de capital, com a captação de US$ 940,5 milhões (R$ 2.134,9 milhões). O preço de colocação foi de US$ 15,17 (R$ 34,4) por ação. Com isso, a Companhia avançou significativamente em um processo importante e estratégico de fortalecimento do seu balanço patrimonial e de sua posição financeira da LATAM através da redução da alavancagem e aumento da liquidez.

Air Costa, da Índia, faz pedido firme para 50 E-Jets E2

February 17, 2014

Singapura, 13 de Fevereiro 2014 – A Embraer S.A. assinou um acordo definitivo com a Air Costa, da Índia, para um pedido firme de 50 E-Jets E2s, com direitos de compra para aquisição de outras 50 aeronaves. A aquisição é uma combinação de 25 E190-E2 e 25 E195-E2 e tem um valor estimado de USD 2,94 bilhões, com base nos preços de lista de 2014. Os direitos de compra são para outros 25 E190-E2 e 25 E195-E2, elevando o potencial total do pedido para até 100 aeronaves, podendo atingir USD 5,88 bilhões, se todos forem exercidos. Esta transação eleva o total de pedidos de E-Jets E2 para 200 firmes e 200 opções e/ou direitos de compra desde o lançamento do programa E2, em junho de 2013.

A Air Costa se torna assim o primeiro cliente dos E-Jets E2 no mercado indiano e receberá o E190-E2 em 2018. O E195-E2 está programado para entrar em serviço em 2019. Atualmente, a companhia aérea, com base na cidade de Vijayawada, do estado de Andhra Pradesh, voa quatro E-Jets, sendo dois E170 e dois E190.

“Os E-Jets já provaram sua capacidade de estimular o tráfego e manter a rentabilidade das companhias aéreas, proporcionando ao mesmo tempo transporte aéreo acessível e confortável para as pessoas em mercados emergentes como Brasil e China. Vejo o mercado indiano se desenvolvendo de forma semelhante com a atual geração de E-Jets e, claro, os E2. Parabenizo a Air Costa por sua visão em aproveitar a oportunidade de criar uma maior conectividade na Índia e estamos gratos pela confiança da companhia aérea na Embraer”, disse Paulo Cesar Silva, Presidente & CEO, Embraer Aviação Comercial.

A Air Costa conecta cidades no sul da Índia como Bangalore, Chennai, Hyderabad e Vijayawada, bem como importantes cidades menores no norte e no noroeste do país. A companhia aérea planeja ligar mercados pouco atendidos, com mais voos diretos, aumentando freqüências e rotas, servindo assim às crescentes áreas metropolitanas, bem como importantes centros de negócios secundários e terciários.

Ramesh Lingamaneni, Diretor-Executivo do Grupo LEPL e Presidente da Air Costa, observou que “os serviços aéreos regionais têm um enorme potencial na Índia, especialmente conectando grandes centros, cidades secundárias e terciárias. Nossa experiência inicial com nossos atuais E-Jets tem sido muito positiva. Nossos passageiros têm elogiado a aeronave pelo conforto e conveniência de viagens ponto-a-ponto. Os jatos E2 nos darão a capacidade adequada de assentos para atender a mercados-alvos futuros com custos unitários que são muito competitivos em relação a aeronaves de corredor único re-motorizadas.”

Os E2 da Air Costa contarão com um novo design de cabine, elevando ainda mais os padrões de conforto e espaço pessoal. O E190-E2 será configurado com 98 assentos em duas classes de serviço, com seis assentos na primeira classe, enquanto o E195-E2 terá 118 assentos, sendo 12 na primeira classe.

Com os E-Jets E2, a Embraer demonstra o compromisso com a melhoria contínua de sua linha de jatos comerciais e a manutenção da liderança no segmento de aviões a jato de 70 a 130 assentos. Os três novos aviões (E175-E2, E190-E2 e E195-E2) têm motores de última geração da Pratt & Whitney, novas asas aerodinamicamente avançadas, controles de voo totalmente fly-by-wire e avanços em outros sistemas que resultarão em melhorias de dois dígitos no consumo de combustível, custos de manutenção, emissões e ruído externo em comparação à atual geração de E-Jets.

Embraer projeta 1.500 novas entregas de jatos de 70 a 130 assentos na região Ásia-Pacífico nos próximos 20 anos

February 12, 2014

Singapura, 12 de fevereiro de 2013 – A Embraer Aviação Comercial prevê que as companhias aéreas da região Ásia-Pacífico, incluindo a China, vão receber cerca de 1.500 novos jatos no segmento de 70 a 130 assentos nos próximos 20 anos (o equivalente a USD 70 bilhões, a preços de lista), o que representa aproximadamente 20% da demanda mundial para o segmento no período.

Das novas entregas na região, 65% são esperadas para apoiar o crescimento do mercado, enquanto 35% substituirão aeronaves antigas que serão aposentadas. O mercado da Ásia-Pacífico se tornará mais rico, competitivo e liberal, estimulando ainda mais as companhias aéreas a buscar aumento de eficiência, diferenciação de marca e melhores níveis de serviço. Neste contexto, o segmento de jatos de 70 a 130 assentos desempenhará um papel fundamental para apoiar o desenvolvimento intra-regional na Ásia-Pacífico.

“O tráfego aéreo na região da Ásia-Pacífico é composto principalmente por mercados secundários com demandas de baixa e média densidade com até 300 passageiros por dia em cada sentido. Cerca de 60% desses mercados não são servidos por voos sem escalas, e cerca de metade de todos os mercados atendidos não permitem a viagem de ida e volta no mesmo dia”, disse Paulo Cesar Silva, Presidente & CEO, Embraer Aviação Comercial. “Os E-Jets da Embraer oferecem a capacidade de desenvolver um melhor sistema de alimentação de tráfego e maior conectividade da malha de voos, bem como melhorar a qualidade dos serviços nos mercados onde não há demanda suficiente para apoiar operações de aeronaves de maior porte.”

O crescimento econômico da região alterou o contexto sócio-demográfico, com um aumento da classe média urbana com maior poder aquisitivo e, portanto, maior propensão a viagens aéreas. A perspectiva econômica positiva e a liberalização intra-regional vão impulsionar o aumento da demanda do transporte aéreo na Ásia-Pacífico em 6% ao ano até 2032, liderado principalmente pela China e Índia. A região vai se tornar o maior mercado do mundo com 34% do total de passageiro-quilômetro transportados.

Com o amadurecimento do modelo das companhias aéreas de baixo custo (Low Cost Carrier – LCC) na região, as empresas têm agora mais incentivos para procurar novas oportunidades para sustentar o crescimento, complementando as operações narrow-body com jatos de menor capacidade em rotas sem escalas em mercados de média densidade, bem como em operações de alimentação de tráfego nos grandes aeroportos (denominadas hub and spoke). Comprovados em serviço, os E-Jets podem desempenhar um papel fundamental nas malhas das LCC e empresas aéreas tradicionais, fornecendo o benefício de custos por viagem significativamente mais baixos e custos por assento competitivos com os de aeronaves de maior porte.

Além disso, 40% das rotas intra-regionais operadas por aviões turboélices têm mais de 450 quilômetros de extensão, sendo mais adequadas para operações de E-Jets devido à sua maior produtividade, melhor economia operacional e conforto superior aos passageiros.

A família de E- Jets registrou mais de 1.400 encomendas e mais de 1.000 entregas até a presente data, operando com cerca de 65 clientes em 45 países. No segmento de 70 a 130 assentos, a Embraer tem uma participação global de 51% nas encomendas e 62% das entregas desde 2004. Na Ásia-Pacífico, a Embraer possui mais de 80% de participação de mercado em seu segmento, com cerca de 150 E-Jets entregues para 10 operadores de seis países na região.

Saratov Airlines torna-se a primeira operadora de E-Jets na Rússia

December 20, 2013

São José dos Campos – SP, 19 de dezembro de 2013 – A Embraer Aviação Comercial anunciou hoje que a Saratov Airlines (Saravia), baseada na cidade de Saratov, será a primeira operadora dos E-Jets na Rússia. A companhia aérea arrendou dois jatos E195 que entrarão em operação nas próximas semanas. O E190 e o E195 foram certificados pela autoridade aeronáutica russa Interstate Aviation Committee em dezembro de 2012.

Os E195 estão configurados com 114 assentos em duas classes e serão operados a partir da base da empresa aérea no Aeroporto de Saratov, cidade situada às margens do Rio Volga, no leste da Rússia Europeia. As aeronaves estão programadas para serem utilizadas em serviços regulares bem como em voos fretados para Dubai, Europa, Ásia e África, em associação com a Magellan, parceira da Saratov na área turística.

“Nós vemos um bom potencial na Rússia para aeronaves com a capacidade que os E-Jets oferecem”, disse Paulo Cesar Silva, Presidente & CEO da Embraer Aviação Comercial. “Como primeira companhia aérea da Rússia a voar o E195, a Saratov Airlines vai comprovar o  excelente custo-benefício, confiabilidade e conforto de cabine da aeronave. Estou certo de que tanto passageiros quanto tripulantes vão desfrutar da experiência de voar dos E-Jets e que a companhia aérea vai rapidamente perceber os benefícios.”

“A Saravia escolheu o E195 devido à sua capacidade comprovada de operar dentro de uma ampla esfera de modelos de negócios”, afirmou o Diretor Geral da Saratov, Konstantin Sokolov. “Estamos ansiosos para começar a perceber melhorias na eficiência da frota com a introdução dessa aeronave, a qual possui um conforto de cabine que sabemos que nossos passageiros vão adorar. O E195 vai nos manter competitivos.”

A Saratov Airlines se junta a uma lista crescente de clientes no Leste Europeu e na Ásia Central que já contam com os E-Jets em suas frotas: Air Astana, Air Lituanica, Air Moldova, Azerbaijan Airlines, Belavia, Bulgaria Air, Estonian Air, LOT Polish, Montenegro Airlines e Ukraine International Airlines. Juntas, essas empresas aéreas operam uma frota de 66 E-Jets.

Embraer Aviação Executiva participa da JetExpo 2013

September 5, 2013

São José dos Campos – SP, 5 de setembro de 2013 – A Embraer Aviação Executiva participará da oitava Exibição Internacional de Aviação Executiva Russa, JetExpo 2013 (www.JetExpo.ru), no Centro de Aviação Executiva Vnukovo-3, em Moscou, Rússia, de 12 a 14 de setembro. O jato executivo Legacy 650, da categoria large, estará na exposição estática.

“Estamos muito satisfeitos por apresentar novamente nossa aeronave no principal evento de aviação executiva da Rússia”, disse Colin Steven, Diretor de Marketing e Vendas – Europa, Oriente Médio e África da Embraer Aviação Executiva. “O mercado russo continua a crescer de forma constante para nós, como resultado das melhorias que estamos fazendo em toda a linha de produtos, que fornecem um valor incomparável aos nossos clientes.”

O Legacy 650 oferece três confortáveis zonas da cabine, permitindo que até 14 passageiros trabalhem ou descansem em uma área espaçosa. Uma galley totalmente equipada e o maior compartimento de bagagem acessível em voo na categoria são outros destaques da aeronave. Entre as características mais marcantes do interior do jato estão o sistema de gerenciamento de cabine de última geração Honeywell Ovation Select e um sofisticado isolamento acústico que torna a cabine uma das mais silenciosas em sua categoria. O alcance é de 7.223 km (3.900 milhas náuticas), com quatro passageiros, ou de 7.112 km (3.840 milhas náuticas), com oito passageiros, ambos com reservas de combustível NBAA IFR fuel reserves, o que permite voos sem escala, a partir de Moscou a Nairóbi (Quênia) ou Anadyr (Rússia).

Primeiro Legacy 650 fabricado na China realiza voo inaugural

August 26, 2013

Harbin, China, 26 de agosto de 2013 – A Harbin Embraer Aircraft Industry Co., Ltd (HEAI), joint venture entre a Embraer e a AVIC (Aviation Industry Corporation of China), anunciou hoje que o primeiro jato executivo Legacy 650 fabricado na China concluiu com sucesso seu voo inaugural. A entrega da primeira aeronave está programada para o final de 2013.
Por cerca de 2 horas e 30 minutos, os pilotos e engenheiros de ensaio da Embraer realizaram testes para avaliar as características de desempenho, comandos de voo, comunicação e navegação, entre outros sistemas.
“O sucesso do primeiro voo do Legacy 650 da HEAI é um marco importante não apenas para a parceria entre a Embraer e a AVIC, mas também para a história da aviação executiva chinesa, já que se trata do primeiro jato executivo da categoria large produzido por uma joint venture no país”, afirmou Guan Dongyuan, Presidente da Embraer na China. “Parabéns a todos que contribuíram para esse resultado de sucesso.”
“A conquista de hoje é fruto da colaboração sino-brasileira e do empenho de todos os envolvidos”, declarou Yuri Capi, Presidente da HEAI. “Esse voo inaugural tem um significado especial para a nossa Empresa, pois mostra ao mercado que estamos prontos e com plena capacidade para oferecer aos nossos clientes jatos executivos de alta qualidade de fabricação local.”
O Legacy 650 entrou em serviço no final de 2010, tem alcance de 7.223 quilômetros (3.900 milhas náuticas) e capacidade para voos diretos entre Beijing e Dubai e de Hong Kong a Adelaide, na Austrália, com quatro passageiros nas condições de NBAA IFR. Com a maior cabine de sua categoria, distribuída em três zonas distintas, o Legacy 650 pode levar até 14 passageiros com muito conforto, desfrutando de sistema de entretenimento de última geração e internet de alta velocidade. A aeronave também possui o mais amplo compartimento de bagagem acessível em voo e o maior toalete de sua classe.”
Desde fevereiro de 2012, quando a Embraer entregou o primeiro Legacy 650 para o mercado chinês, a Empresa já recebeu 21 pedidos firmes e mais cinco opções para essa aeronave no país. Para fornecer um eficiente suporte ao cliente de seus jatos executivos, a Embraer continua expandindo sua rede de centros de serviços autorizados na Grande China.

ILFC orders 50 more A320neo Family aircraft

June 17, 2013

Repeat order from leading lessor confirms market preference for NEO

Industry leading aircraft lessor, ILFC, a wholly-owned subsidiary of American International Group, Inc., has signed a firm contract for the purchase of 50 additional A320neo Family aircraft. The contract was announced today at the Paris Air Show by ILFC Chief Executive Officer, Henri Courpron and John Leahy, Airbus Chief Operating Officer, Customers.

ILFC was the first lessor to commit to the A320neo Family with a firm order placed in 2011 for 100 aircraft.  With this latest order, ILFC increases its total firm NEO order tally to 150. ILFC will make its engine selection for the aircraft at a later date. Including this latest contract, ILFC remains Airbus’ largest customer, having ordered a combined total of 769 single-aisle and widebody Airbus aircraft.

“The A320neo is firmly established as a long-term cornerstone of ILFC’s portfolio of modern, fuel efficient aircraft. The NEO allows ILFC to offer its customers a single-aisle aircraft family that delivers a significant reduction in fuel consumption and the widest, most comfortable cabin in its class,” ILFC Chief Executive Officer Henri Courpron said. “We have already seen significant market interest in the NEO and that is why we have come back for more. We must be ready to deliver the product that airlines want and that will enable them to take advantage of the significant growth air transport will see over the coming years.”

“We are delighted to see our valued and long-standing customer ILFC coming back for more A320neo aircraft. This is clear signal of the continuing strong demand for Airbus’ most modern, fuel efficient aircraft which day in, day out, deliver profitability to their owners and a great travel experience to the passengers,” said John Leahy, Airbus Chief Operating Officer, Customers. “With a portfolio of 150 A320neo’s at ILFC, we can take that as a strong confirmation of the NEO’s market leading position.”

The A320neo is offered as an option for the A320 Family and incorporates new more efficient engines and large “Sharklet” wing tip devices, which together will deliver up to 15 percent in fuel savings. At the end of May 2013, firm orders for the NEO stood at 2125 from 40 customers, making it the fastest selling commercial airliner ever and underlining its market leadership position with close to 60 per cent market share.

Cessna Corvalis TTX completa série de voos experimentais com sucesso

March 11, 2013

Aeronave pode voar nas condições climáticas mais adversas

São Paulo, 08 de março de 2013- A Cessna, representada exclusivamente no Brasil pela TAM Aviação Executiva – anuncia que o Cessna Corvalis TTX completou sua primeira série de voos experimentais na semana passada no sudoeste do Kansas (EUA). Foram 275 voos em 339 horas no ar.

“Os voos aconteceram de forma excepcional. No decorrer dos testes, o piloto alcançou 17 mil pés de altitude e velocidade de 213 kts (394 km/h). O TTX é a aeronave a pistão monomotora de trem fixo mais rápida do mundo”, afirma Brian Steele, líder de negócios do TTX na Cessna.

O Cessna Corvalis TTX pode atingir a velocidade máxima de 235 kts (435 km/h) e tem como diferencial a capacidade de voar em condições climáticas adversas, como neve. O monomotor consegue atravessar os EUA com apenas uma escala. É o primeiro avião a ser equipado com o sistema de aviônicos Glass Cockpit Garmin G2000 que possui duas telas de 14,1 polegadas com controle touch screen. O Corvalis TTX também é equipado com o sistema de Proteção de Estabilidade Eletrônica da Garmin (ESP), que auxilia os pilotos a manterem o voo com alto desempenho. Além disso, a aeronave tem um interior sofisticado, confortável e seguro, com bancos de couro e airbags.

“Com seu painel Touch screen, o Corvalis TTX é pioneiro em tecnologia. Seu design limpo e estilo arrojado conferem performance e luxo ao modelo”, afirma o diretor de vendas da TAM AE Leonardo Fiuza.

GOL anuncia estudo de voos para os Estados Unidos

March 1, 2012

 SÃO PAULO, 1 de março de 2012  — A GOL Linhas Aéreas Inteligentes S.A. (BM&FBovespa: GOLL4 e NYSE: GOL), (S&P/Fitch: BB-/BB-, Moody`s: B1), a maior companhia aérea de baixo custo e baixa tarifa da América Latina, informa que está sempre avaliando novas possibilidades que agreguem resultados ao negócio e benefícios aos clientes, e por esta razão solicitou junto a ANAC uma consulta sobre a disponibilidade de 14 frequências semanais para os Estados Unidos e outras sete para a Venezuela. As portarias da ANAC números 325 e 326 designam as frequências conforme previsto nos acordos bilaterais nos países envolvidos.

Next Page »